[email protected]

cropped-logo-1
Pesquisar

Rio Negro deve retomar seu nível normal apenas em novembro, revela CPRM

Rio Negro pode subir novamente em novembro após maior seca da história

Nesta segunda-feira (16), o Rio Negro, que passa por Manaus, atingiu um recorde alarmante, alcançando a marca de maior seca já registrada. Segundo Jussara Cury, pesquisadora do Serviço Geológico Brasileiro (SGB), o rio pode finalmente estabilizar e começar a subir novamente apenas em novembro. No entanto, isso dependerá diretamente da estabilidade do Rio Solimões, localizado em Tabatinga.

No dia 16, as águas do Rio Negro chegaram a impressionantes 13,59 metros, superando o nível mais baixo registrado em 2010, que foi de 13,63 metros. De acordo com o Porto de Manaus, que monitora o nível do Rio Negro há mais de um século, essa é a maior seca em 121 anos.

A pesquisadora Jussara Cury explica que a subida do Rio Negro está diretamente relacionada ao comportamento do Rio Solimões, que percorre nove cidades amazonenses e é responsável por 70% do suprimento de água para o Rio Negro.

Cury revela que já houve uma tentativa de aumento do nível do Rio Negro no início de outubro em Tabatinga, mas foi seguida por uma nova recessão. No entanto, há a expectativa de que o Rio Solimões saia do menor nível registrado (-75 cm) e volte a subir até o final desta semana.

Atualmente, a régua de medição do Rio Solimões em Tabatinga começou a apresentar descidas menores. Segundo Cury, a estabilidade na região do Alto Solimões será refletida no Rio Negro em aproximadamente 25 dias, ou seja, a partir do dia 10 de novembro.

Enquanto aguardamos os efeitos da estabilidade no Alto Solimões, o rio que passa por Manaus continuará descendo, pelo menos, até o final de novembro. Uma situação preocupante que requer atenção e medidas para mitigar os impactos dessa seca histórica na região.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *