[email protected]

cropped-logo-1
Pesquisar

Dono da Onda Digital é investigado pela Polícia Federal e pode acabar atrás das grades

Manaus – A empresa Digital Comunicação, que pertence ao empresário Antônio Fernandes Barros Lima Júnior, continua sendo investigada pela Polícia Federal (PF) que a qualquer momento pode deflagrar a segunda fase da Operação ‘Amor Fantasma’. A operação, deflagrada em novembro de 2022, apura o possível crime de Caixa 2 eleitoral cometido pelo empresário em parceria com o ex- vice-governador do Amazonas, Henrique Oliveira (Podemos).

De acordo com informações da PF, a ex-esposa de Henrique Oliveira, apontada como Adriana Mendonça, que na época era candidata a deputada federal pelo PROS, recebeu cerca de R$3 milhões do Fundo Especial de Financiamento de Campanha e dessa bagatela, ela repassou aproximadamente R$1.500.000,00 (um milhão e meio) para três empresas que pertencem ao Antônio Júnior, são elas: Digital Comunicação, X Press Serviços de Comunicação Multimídia LTDA e 7 Comunicação LTDA.

Mesmo a na época candidata tendo passado esse valor exorbitante, as empresas entregaram apenas 33 posts de campanha promovendo ela em uma página no Facebook com menos de 100 curtidas, o que explica os míseros 240 votos que Adriana recebeu.

Além dessa fortuna, Antônio também foi ‘abençoado’ com verba de campanha de Henrique Oliveira, que foi derrotado no pleito para o Governo do Amazonas. O na época candidato repassou exatamente R$1.936.639,50 (um milhão novecentos e trinta e seis mil, seiscentos e trinta e nove reais e cinquenta centavos) para a Digital, e mais R$842.500,00 (oitocentos e quarenta e dois mil e quinhentos reais) para a X Press.

Diante da algazarra feita com o dinheiro público em plena luz do dia, pois todos estes gastos exorbitantes e fora do comum estavam sendo declarados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma denúncia foi protocolada pelo Comitê Amazonas de Combate à Corrupção e enviada à Procuradora Regional Eleitoral, Catarina Mendes Sales.

A partir daí PF começou a agir e exatamente no dia 30 de novembro realizou busca e apreensão na Digital Comunicação, bem como no apartamento do empresário Antônio Junior e da ex-esposa de Henrique Oliveira, Adriana Mendonça.

Durante a ação, foram apreendidos os celulares dos envolvidos, computadores e documentos. O cumprimento do mandado de busca e apreensão busca coletar elementos indicativos de autoria e materialidade das supostas atividades ilícitas.

Se comprovado o crime, os envolvidos podem receber pena de até cinco anos de prisão e pagamento de multa. As investigações continuam e fontes afirmam que a segunda fase da operação está por vir.

Mais chuva de dinheiro público para a Digital

A empresa Digital Comunicação, do empresário Antônio Fernandes Barros Lima Júnior, não é uma total desconhecida dos órgãos de gestão e de controle. Muito pelo contrário, a Digital foi uma das empresas que mais foram beneficiadas com os gastos da administração do ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB).

De acordo com Portal da Transparência, o ex-gestor municipal gastou mais de R$ 754 milhões em comunicação, sendo R$ 178 milhões somente em publicidade, ramo de atuação da Digital. Desse valor destinado a publicidade, somente a empresa de Antônio Junior recebeu mais de R$ 50 milhões em oito anos de mandato do ex-prefeito Arthur Neto.

Esse contrato, considerado o ‘dos sonhos’, foi destinado ao empresário após a Digital ser uma das produtoras da campanha do ex-prefeito em 2012. Outras empresas de Antônio também receberam a bênção de Arthur e foi durante a gestão dele que o empresário teve um crescimento surreal.

Suspeita de fraude

No entanto, mesmo com todos os indícios de irregularidades,  as empresas de Antônio permaneceram recebendo dinheiro público sem qualquer controle, até 2020.

Em 2019, a Portaria Nº 140/2019, da Comissão Geral de Licitação (CGL), entrou com pedido para analisar e impedir a contratação da empresa Digital Publicidade por falsificação de documento. Na ocasião,”ter apresentado o Certificado de Regularidade do FGTS, certificação nº 2019030801414659137921, com indícios de falsificação (no sistema e-compras)”.

No entanto, a investigação não andou, e a empresa de Antônio Júnior continuou sendo a principal prestadora de serviços de Publicidade, ganhando um aditivo de contrato naquele ano, no valor “inicialmente” estimado em R$ 6.075.000,00, (seis milhões e setenta e cinco mil reais), correspondente a 30% do montante de R$ 20.250.000,00 assegurados.

Para onde vai tanto dinheiro?

Supostamente cheio de ganância e com o intuito de dominar a comunicação amazonense, Antônio criou em janeiro de 2022 a Onda Velox Comércio de Veículo LTDA, conhecida como ‘Onda Digital’, que funciona no mesmo endereço da Digital Comunicação. O projeto do empresário de criar o veículo também seria para conseguir mais verba pública, além de propagar Fake News sobre adversários e outros empresários que não concordam com a conduta dele.

Antônio investiu o que ganhou ao decorrer dos anos trabalhando com políticos na criação da ‘Onda Digital’, que além de ser um portal de notícias também faz transmissão na TV e na rádio. Ao lado dele, outros empresários da comunicação amazonense formam uma espécie de ‘milícia digital’ para atacar quem cogitar denunciá-lo e assim ele se mantém milionário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *