[email protected]

cropped-logo-1
Pesquisar

Computador da Abin é apreendido pela PF na residência de Carlos Bolsonaro

Foto: divulgação

Brasil – A Operação Vigilância Aproximada, conduzida pela Polícia Federal (PF), prosseguiu hoje (29) com a execução de nove mandados de busca e apreensão. A ação, iniciada na quinta-feira passada (25), atingiu a residência do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), no Rio de Janeiro, onde um computador da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) foi confiscado.

A investigação conduzida pela Polícia Federal tem como foco um grupo político supostamente envolvido em espionagem ilegal, um caso que estava sob a lente da Abin durante o mandato do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). As residências e o gabinete de Carlos Bolsonaro na Câmara do RJ, bem como uma casa de praia da família Bolsonaro, foram alvos das ações judiciais.

Além de Carlos Bolsonaro, outros envolvidos na operação incluem indivíduos associados ao vereador carioca. Buscas foram realizadas nas propriedades de Luciana Paula Garcia da Silva Almeida, sua assessora; Giancarlo Gomes Rodrigues, militar do Exército designado para a Abin durante a gestão de Ramagem; e Priscila Pereira e Silva, assessora de Alexandre Ramagem.

Abaixo, segue o comunicado completo da PF:

Hoje (29), a Polícia Federal dá continuidade à Operação Vigilância Aproximada, com a execução de mais mandados de busca e apreensão. O propósito é desmantelar uma organização criminosa que se infiltrou na Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) com o objetivo de rastrear ilegalmente autoridades públicas e outras pessoas por meio de ferramentas de geolocalização de dispositivos móveis, sem a devida permissão judicial.

Estão em execução nove mandados de busca e apreensão nas regiões de Angra dos Reis/RJ (1), Rio de Janeiro/RJ (5), Brasília/DF (1), Formosa/GO (1), e Salvador/BA (1).

Nesta fase, a Polícia Federal visa aprofundar na questão política, identificando os maiores recipientes e receptores das informações produzidas ilegalmente no contexto da Abin. Essas operações envolvem o uso de técnicas de investigação próprias de agências judiciárias, entretanto, sem qualquer supervisão judicial ou do Ministério Público.

Os suspeitos poderão enfrentar, de acordo com suas responsabilidades, charges por invasão de dispositivo informático estranho, organização criminosa e interceptação de comunicações telefônicas, informáticas ou telemáticas sem autorização judicial ou por motivos não permitidos por lei.

Leia também: Alexandre Ramagem, aliado de Bolsonaro, é alvo de operação de espionagem

Assine as notícias do Portal Tucumã em seu WhatsApp e mantenha-se atualizado! CLIQUE AQUI: https://cutt.ly/96sGWrb

Fonte: https://portaltucuma.com.br/pf-apreende-na-casa-de-carlos-bolsonaro-computador-da-abin-pf24/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *