[email protected]

cropped-logo-1
Pesquisar

Cidade ‘fofoqueira’ e Teatro Amazonas azul: confira os fatos sobre Manaus ao celebrar seus 354 anos

Teatro Amazonas era azul, em 1981. — Foto: Reprodução/Manaus de Antigamente

Manaus, a cidade “fofoqueira”, completa 354 anos nesta terça-feira (24) e traz consigo diversas histórias peculiares que fazem parte de sua trajetória. Situada em meio à imensidão da Floresta Amazônica e às margens do Rio Negro, essa metrópole foi pioneira em muitos acontecimentos históricos, além de ser conhecida pelo seu crescimento exponencial durante a época da borracha, no século XIX. No entanto, ao longo dos anos, muitas histórias foram contadas sobre a cidade, mas o que realmente faz parte de sua memória?

Um fato curioso que poucos sabem é que Manaus tem uma longa tradição na cultura da fofoca. Já no século XIX, jornais especializados em mexericos surgiram na cidade, publicando fofocas bastante pesadas sobre personalidades da época. Essa tradição continua até os dias de hoje, com a fama de ser uma cidade “fofoqueira”.

Outro ponto interessante é a demorada comunicação que Manaus tinha com o restante do país. Durante muito tempo, a cidade recebia notícias dias depois do restante do Brasil, devido às dificuldades de comunicação por meio de embarcações. Um exemplo marcante disso foi a Proclamação da República, em 1889, que só foi conhecida pelos manauaras seis dias após o acontecimento.

Acredita-se que Manaus foi a primeira cidade do Brasil a ter energia elétrica, mas essa é apenas uma história que faz parte do imaginário local. O historiador Fábio Augusto revela que esse mito foi criado para engrandecer a história da cidade, pois a energia elétrica já existia em outras cidades do país, como Campos dos Goytacazes (RJ), Rio Claro (SP) e Porto Alegre (RS).

Também há uma história curiosa sobre as famílias mais ricas de Manaus lavarem suas roupas em Paris, na França, durante a época da borracha. No entanto, isso não passa de um boato. As principais lavanderias da cidade atendiam justamente essas famílias, e não havia registros de que elas lavavam suas roupas na Europa.

No aspecto educacional, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) é reconhecida como a mais antiga do Brasil, fundada em 1909. Porém, existiam cursos de ensino superior no país desde o início do século XIX.

Um dos principais símbolos de Manaus, o Teatro Amazonas, já foi pintado de azul durante os anos 1970. No entanto, após estudos de restauração, descobriu-se que a cor original do teatro era rosa, e assim foi repintado.

Em meados do século XX, Manaus teve um bairro conhecido como “cidade flutuante”, onde casas boiavam e flutuavam no Rio Negro. Essa área foi demolida em 1966 por declarações do então governador, que a considerava uma “vergonha”. Os moradores dispersaram-se para outros bairros em desenvolvimento na cidade.

E não podemos esquecer do maior porto flutuante do mundo, o Porto de Manaus, reconhecido por comportar navios de grandes dimensões e acompanhar os níveis das águas do Rio Negro. Essa estrutura é de extrema importância econômica para o Estado do Amazonas e possui também valor histórico, sendo tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Essas são apenas algumas das histórias reais que fazem parte da memória de Manaus. A cidade continua surpreendendo e encantando seus habitantes e visitantes com sua riqueza cultural e histórica, deixando uma marca indelével na Amazônia e no Brasil.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/10/24/cidade-fofoqueira-e-teatro-amazonas-azul-saiba-o-que-e-verdade-na-historia-de-manaus-que-celebra-354-anos.ghtml

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *